1 2 3 4 5 6 7

Cirurgia de Obesidade e/ou Bariátrica


A obesidade é uma doença universal de prevalência crescente que vem adquirindo proporções alarmantes. Sua epidemiologia é um dos principais problemas de saúde pública na sociedade moderna. É definida como o aumento do peso corpóreo em relação ao peso ideal devido ao excesso de tecido adiposo (gordo) no organismo. Atinge indivíduos de ambos os sexos e todas as idades, porém é mais freqüente nos adultos do sexo feminino. Atualmente, muita preocupação também é tida com as crianças e adolescentes, onde os estudos estatísticos mostram que é rapidamente crescente o número de obesos.
Devido ao fato de a imensa maioria dos pacientes severamente obesos não conseguirem promover mudança definitiva nos seus hábitos alimentares e na prática de atividade física, aliado às alterações nos mecanismos que controlam a distribuição da gordura e o gasto energético, os obesos tendem a recuperar o peso perdido, superando inclusive o peso inicial e se tornando ainda mais obesos. É por essa razão que os tratamentos conservadores à base de dietas e medicamentos não conseguem manter perdas de peso significativas a longo prazo. Isto leva a um fenômeno popularmente conhecido como “efeito sanfona”. Os pacientes com obesidade mórbida devem portanto ser encarados como portadores de uma doença séria, que ameaça a vida, reduz a qualidade de vida e a auto estima, e que requer abordagem eficiente para promover redução do peso de forma definitiva.

Calcule Aqui o seu IMC (utilize ponto ao invés de vírgula):

Peso (KG) Altura (M)
IMC

Classificação da Obesidade Segundo o Índice de Massa Corporea (IMC )
e risco de Doença (Organização Mundial de Saúde )

IMC(Kg/M2) Classificação Grau de Obesidade Risco de Doença

IMC(Kg/M2)

Classificação

Grau de Obesidade

Risco de Doença

< 18,5

Magreza

0

Elevado

18,5 a 24,9

Normal

Eutrófico

Normal

25 a 29,9

Sobrepeso

Obesidade GI

Elevado

30 a 39,9

Obesidade

Obesidade GII

Muito elevado

>  40

Obesidade Grave

Obesidade III
Obesidade Mórbida

Muitíssimo elevado

Indicações Cirúrgicas

_Pacientes com um IMC > 40
_ Pacientes com IMC > 35 que apresentem co-morbidades
_Pacientes que avaliados por médico experiente em matéria de
tratamento da obesidade, tenham pequena probabilidade de sucesso
com medidas não cirúrgicas

Contra Indicações

Dependência química e o abuso de substâncias
Falta de colaboração por parte do paciente
Doenças psiquiátricas
Esquizofrenia
Desordens psiquiátricas limítrofes
Depressão não controlada

Tratamento Cirúrgico

O tratamento cirúrgico da obesidade surgiu na década de 50 e com o passar dos anos as técnicas foram sendo aperfeiçoadas, hoje a cirurgia mais utilizada no mundo é a gastroplastia vertical em Y de Roux ou cirurgia de Fobi-Capella. Idealizada por Fobi em 1986 e aperfeiçoada por Capella em 1990, este modelo de cirurgia tornou-se o padrão ouro da cirurgia bariátrica, e é o que utilizamos em nosso serviço.

Cirurgia Fobi Capella

O que é?
Realiza-se um grampeamento (costura) que reduz o tamanho do estômago a cerca de 10% do que era. Depois é realizado um desvio do trânsito alimentar (bypass em Y) diretamente a uma área distal do intestino delgado. É a cirurgia da obesidade mais realizada nos Estados Unidos e no Brasil. Alguns cirurgiões inda realizam a cirurgia por via convencional – com incisão no abdome – embora os trabalhos comparativos demonstrem evidências de que a realização da cirurgia por videolaparoscopia permita melhor recuperação pós-operatória. Colocar foto

Riscos e Complicações

Riscos e complicações
Intra-operatórias.
Na medida que são identificadas, são corrigidas.
Complicações pós operatórias imediatas.
- Deiscência da sutura.
- Fístulas
- Estenoses
- Hérnias internas e aderências
- Obstrução por alimentos
- Úlceras e erosões.
As complicações são inevitáveis e são dependentes de inúmeros fatores, entre eles a experiência do cirurgião. Devemos ter em mente que apesar desse pacientes, na sua grande maioria ter uma evolução benigna, as complicações apresentam sempre uma dificuldade diagnóstica.