1 2 3 4 5

Colangiopancreatografia retrógrada (CPRE) e Papilotomia endoscópica

O que é a CPRE?

É um procedimento médico que associa um endoscópio especialmente desenhado para este fim com visão lateral (duodenoscópio ) e a radiologia. Consiste na canulação da papila de Vater com acessórios específicos, realizando imagens radiológicas do canal pancreático, ducto hepático colédoco e cístico. O exame permite fazer diagnósticos e realizar procedimentos terapêuticos.

E Papilotomia Endoscópica?

A endoscopia das vias biliares tem apresentado o maior desenvolvimento e alternativas terapêuticas de impacto à partir do advento da papilotomia endoscópica em 1973.
Através deste procedimento é possível cortar via endoscópica a papila de Vater e retirar cálculos residuais a árvore biliar (canal hepático e ducto colédoco). É um procedimento realizado em nível hospitalar com anestesia geral. A duração é muito variável, dependendo da complexidade do procedimento a ser executado. O médico executor é um endoscopista com treinamento especial para este tipo de procedimento.

Como é Realizada?

Com o paciente anestesiado o duodenoscópio é introduzido através da boca até a segunda porção do duodeno, onde a papila de Vater é identificada.
Após um cateter específico é passado através da papila realizando as radiografias necessárias para o planejamento da intervenção. Outro acessório chamado papilótomo é passado e com sua alça metálica, a papila é seccionada precisamente. (Fotos
Outros acessórios são introduzidos, dependendo do procedimento a ser realizado. Desta maneira os cálculos residuais podem ser retirados.


Preparo para o procedimento

Como qualquer procedimento cirúrgico o paciente deverá ser avaliado do ponto de vista laboratorial e cardiológico, desta maneira tendo-se um risco cirúrgico, que depende de cada indivíduo e de doenças pré existentes tais como: hipertensão, diabetes , problemas renais , neurológicos e cardíacos. O procedimento é realizado em regime hospitalar com 8 h de jejum.

Indicações

O exame é indicado como para procedimentos diagnósticos e terapêuticos. Dentre as principais indicações destacam-se:
-Estudo das doenças pancreáticas crônicas.
-Pancreatites agudas de causa biliar.
-Íctericias a esclarecer com suspeita de obstrução.
- Retirada de cálculos biliares residuais (Não detectados na realização da cirurgia de vesícula biliar )
- Tumores de vias biliares
- Colocação de próteses biliares.
- Detecção de complicações decorrentes de cirurgias de vesícula e sobre a árvore biliar.
- Colangite obstrutiva aguda.
- Litíase pancreática.
- Estenoses ( estreitamentos ) malignos e benignos das vias biliares e pancreáticas
Papilites ( Inflamação da papila de Vater).
Tumores de papila de Vater

Complicações

O procedimento é seguro, mas como qualquer intervenção médica não é isento de riscos, principalmente em pacientes considerados de alto risco cirúrgico.
As complicações agudas podem ocorrer entre 3 a 8%. Relativo a este ítem , há que se considerar o fator experiência do endoscopista, pois tal procedimento não é realizado por qualquer endoscopista. As principais complicações são:
- Hemorragia – 2,0%
-Colangite (Infecção das vias biliares )- 1,2 %
- Pancreatites – 2,3 %
- Perfuração- 0,2 %

Medicações
A maioria dos remédios pode ser utilizada normalmente, mas algumas podem interferir com o preparo do exame. Informe seu médico sobre os medicamentos que está tomando, especialmente AAS e similares, medicações para reumatismo, anticoagulantes, insulina, calmantes e antidepressivos. Também não esqueça de avisar sobre alergias e reações anteriores a medicamentos.