1 2 3 4 5

Colecistectomia Videolaparoscópica

 

A vesícula é em um órgão com forma de pêra, localizada abaixo do fígado na parte superior direita do abdômen. Sua função é armazenar a bile. Está unida ao duto biliar que tem origem no fígado e traz a bile para vesícula e ao intestino. Neste local a bile ajuda na digestão dos alimentos. A vesícula é um órgão dispensável para uma vida saudável.

Cálculos ( "Pedras" )

As pedras são formadas na vesícula pelo excesso de colesterol na bile. Os cálculos são um problema bastante freqüente. Quando elas causam dor ou outros problemas,o tratamento usualmente é necessário. A remoção da vesícula é um dos tipos de cirurgia mais comuns. Em passado recente, a cirurgia aberta era a única opção.Neste procedimento a internação é de 3 a 7 dias e o corte de 10 a 20 cm. de extensão, e conseqüente cicatriz.

Laparoscópica

A laparoscopia é um aparelho formado por varias lentes em seu interior. Neste aparelho é conectada uma micro-câmera que transmite a imagem a um monitor de TV. Este conjunto oferece uma imagem nítida e magnificada, permitindo a observação nítida dos órgãos internos do abdômen.

Cirurgia

A colecistectomia é a remoção cirúrgica da vesícula. Usando a avançada tecnologia laparoscópica é possível remover a vesícula por pequenos cortes no abdômen. O procedimento é realizado com anestesia geral. O cirurgião insufla gás carbônico (inofensivo) no interior do abdômen para criar espaço entre a parede abdominal e o conteúdo. Após a criação deste espaço é introduzido o instrumental para realizar-se a cirurgia. O tempo da cirurgia depende da intensidade da inflamação da vesícula, podendo levar de 1 hora ou mais.

Quais são os benefícios?

O principal benefício é a recuperação do paciente. A dor no pós-operatório está localizada mais freqüentemente abaixo da costela do lado direito e eventualmente dor no ombro direito. O período de internação costumeiramente é de um dia. A volta ao trabalho é em torno de uma semana. Outro fator relevante é o aspecto estético agradável.

Quais são as complicações?

Enquanto o procedimento parece fácil ao paciente, não deixa de ser uma cirurgia. Assim embora pouco freqüente, há os mesmos riscos de uma cirurgia aberta. Estas complicações podem incluir: cerca de 5% dos casos, a vesícula não pode ser extraída pela laparoscopia, sendo a cirurgia convertida para a cirurgia aberta. Náusea ou vômitos pode ocorrer após as primeiras 24 hs. Lesão de duto biliar, vasos sanguíneos ou intestinos. Nestas situações é necessária a correção.

Quem não pode fazer laparoscopia?

Há algumas situações que a cirurgia não pode ser recomendada. Às vezes a gravidez ou cirurgia anterior na parte superior do abdômen (as aderências formadas por cirurgia podem prejudicar a visualização do interior do abdômen). Outras situações clínicas como doença cárdio-pulmonar descompensada ou passado recente de embolia pulmonar contra-indicam a laparoscopia.