(35) 3423-6405 / (35) 3422-5727

Teste de Hidrogênio Expirado

Sintomas relacionados ao aparelho digestivo, como náuseas, empachamento, eructações (arroto), inchaço abdominal, cólicas, flatulência excessiva, diarreia e constipação, podem ser decorrentes de enfermidades benignas do trato gastrointestinal.

Dentre essas enfermidades podemos destacar as intolerâncias alimentares, deficiências enzimáticas e o super crescimento bacteriano do intestino delgado. Esta é uma condição muito prevalente entre os pacientes com doenças funcionais. 

Em indivíduos normais, os carboidratos são absorvidos por enzimas no intestino delgado. Quando há baixa quantidade ou ausência dessas enzimas, os carboidratos chegam ao colón e são digeridos pelas bactérias, causando fermentação bacteriana. 

Esse processo de fermentação resulta em formação de gases, especialmente o hidrogênio e o metano, causando sintomas. Desses gases, uma parte é expelida como flatus, e outra é absorvida, atingindo a corrente sanguínea, chegando até o pulmão, onde são excretadas.

O Teste Respiratório de Hidrogênio é o melhor exame para detectar intolerância a carboidratos, como lactose e frutose, e a presença de supercrescimento bacteriano do intestino delgado.

Um procedimento simples, indolor e não invasivo, que pode ser realizado em pessoas de qualquer idade. Ele parte do princípio de que o gás de hidrogênio e/ou metano contido na expiração provém da fermentação bacteriana intestinal.

Por meio da expiração do paciente é realizada a aferição dos gases presentes, de três a cinco horas, em intervalos de tempo determinados.

Indicações:

O Teste Respiratório de H2 (Hidrogênio) é utilizado para os seguintes diagnósticos:

  • Intolerância à Lactose
  • Intolerância à Frutose
  • Intolerância à Sacarose
  • Intolerância à Sorbitol
  • Intolerância à Xylose (para diagnóstico de enteropatia)
  • Super crescimento bacteriano no intestino delgado por Lactulose
  • Tempo de Trânsito Oro-Cecal.

Resumo:

Esse teste é fundamentado no fato de que o carboidrato não digerido (por exemplo a Lactose) passa ao intestino grosso onde a ação de bactérias causa a liberação de H2 que é absorvido pelas paredes do intestino e dissolvido na corrente sanguínea. Este gás é expelido pelos pulmões e detectado pelo aparelho que faz a aferição dos mesmos. Uma concentração aumentada do H2 expirado após a ingestão da Lactose caracteriza a má absorção de lactose.

O ar expirado é aferido pelo aparelho; obtendo-se a concentração do gás hidrogênio. Esta medição é feita a 15 minutos, podendo durar de 2 a 4 horas.

Preparo:

(Veja aqui como é o preparo para esse exame.)